Crianças em tratamento de câncer têm dia de bombeiro no Paraná

Crianças em tratamento de câncer têm dia de bombeiro no Paraná
Ação foi para comemorar o Dia das Crianças e o centenário da corporação. Crianças vestiram roupa de bombeiro e passearam por Cascavel.

terça-feira, 28 de outubro de 2014

Polícia Civil apreende 14 kg de maconha em Araxá. Saiba Mais...

Operação especial da Polícia Civil culminou com a prisão de quatro pessoas

Apreensão ocorreu na noite da última quarta-feira, dia 22
A 2ª Delegacia Regional de Araxá chefiada pelo delegado Dr. Cezar Felipe Colombari desencadeou na última quarta-feira (22), uma operação que terminou com a prisão de quatro homens e a apreensão de 15 kg de maconha que estavam chegando em Araxá.

A operação foi coordenada pelo delegado Dr. Conrado e o inspetor Alisson, e contou com apoio do delegado de policia Dr. Waldemar e dos investigadores, Ana Paula, Fernando, Nelson, Edson, Fabio, Higino e Bruno. Após 48 horas interruptas de trabalho, a equipe da PC conseguiu localizar os envolvidos, realizar a prisão e apreender a droga que estava escondida dentro de um veiculo VW/Santana com placa de Uberaba.

O veiculo foi abordado na noite de quarta-feira, 22, por volta de 23h na BR-262 próximo a Araxá, em seguida outro veiculo, um VW/Voyage, foi localizado e abordado próximo ao trevo Araxá/Uberaba, onde um envolvido já estava aguardando para receber a droga. Com ele foi localizado e apreendido a quantia de R$ 4 mil.

Realizadas estas duas prisões, os investigadores se deslocaram até o bairro Vila Silvéria, onde prenderam B.R.F., de 25 anos (vulgo Xaropinho), apontado nas investigações como sendo o responsável pela droga e pela distribuição da mesma em Araxá. No mesmo instante um outro envolvido identificado como sendo E.G.O., de 23 anos foi preso no bairro Alvorada quando saia correndo da residência de sua namorada. Também foram presos e acusados de envolvimento com o tráfico de drogas E.J.A.J. de 18 anos e D.M.S. de 20 anos.

JA

Trio é detido e PRF apreende drogas, armas e munições na BR-153 em MG

Adolescente e um casal estavam em ônibus.
PRF de Frutal apreendeu 32 tabletes de maconha, pistolas e munições.


Do G1 Triângulo Mineiro

Um casal foi detido e uma adolescente apreendida neste sábado (25) pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) de Frutal, no Triângulo Mineiro, suspeitos de tráfico de drogas. O trio estava em um ônibus que saiu de Foz do Iguaçu (PR) e estava indo para Brasília (DF). Durante abordagem na BR-153, os agentes da PRF encontraram 32 tabletes de maconha, duas pistolas e 56 munições dentro de duas malas. 
A PRF ainda não informou as idades dos detidos. Até a publicação desta reportagem, a pesagem da droga não tinha sido concuída.
Segundo a PRF, o trio será encaminhado para a Polícia Federal em Uberaba, juntamente com o material apreendido.
  •  
PRF apreende 32 tabletes em Frutal (Foto: Polícia Rodoviária Federal/Divulgação)Material apreendido pela PRF será encaminhado para a Polícia Federal em Uberaba
(Foto: Polícia Rodoviária Federal (PRF)/Divulgação)

Polícia apreende 2,5 toneladas de maconha em Pouso Alegre, MG

Droga estava em caminhão com melancias que foi parado na Fernão Dias.
Segundo PRF, essa foi a maior apreensão de drogas do ano na rodovia.


Do G1 Sul de Minas
A Polícia Rodoviária Federal apreendeu na manhã deste sábado (25) mais de 2,5 toneladas de maconha próximo ao posto de fiscalização no KM-871 da Rodovia Fernão Dias, em Pouso Alegre (MG). Para camuflar a droga, o motorista usou melancias. Além do motorista, que estava sozinho no caminhão, a polícia deteve um casal que seguia em um veículo Jetta e passava orientações para que o carregamento fosse desviado dos pontos de fiscalização.
Carregamento de melancia disfarçada droga que seria levada para Juiz de Fora, MG (Foto: PRF Pouso Alegre)Carregamento de melancia disfarçada droga que
seria levada para Juiz de Fora, MG
(Foto: PRF Pouso Alegre)
Segundo a PRF, os policiais desconfiaram do carregamento e decidiram parar o caminhão para averiguações. O motorista então apresentou uma carteira de habilitação falsificada. A polícia encontrou a droga ao revistar a carga de melancias. No carro que seguia à frente do caminhão não foi encontrado nenhuma droga, mas o casal que estava no veículo foi detido.
A polícia informou que tanto o carro quanto o caminhão têm placas do Paraná. Suspeita-se que o carregamento tenha saído de Mato Grosso do Sul para ser entregue em Juiz de Fora (MG). De acordo com a PRF, essa foi a maior apreensão de drogas registrada neste ano na Fernão Dias.
Pelo menos 1 tonelada de maconha estava escondida embaixo das frutas (Foto: PRF Pouso Alegre)Pelo menos 1 tonelada de maconha estava escondida embaixo das frutas (Foto: PRF Pouso Alegre)

Homem é preso em MG após manter mãe e filha do PA em cárcere privado

Jovem saiu do Pará para Juiz de Fora com criança de dois anos.
Ela conheceu suspeito há cerca de três anos pela internet.


Do G1 Zona da Mata
Suspeito de cárcere privado em Juiz de Fora (Foto: Reprodução/TV Integração)Mulher e filha ficavam trancadas dentro de casa
(Foto: Reprodução/TV Integração)
Um homem de 34 anos foi preso na quinta-feira (23) sob suspeita de manter uma jovem de 24 anos e a filha dela, de apenas dois, em cárcere privado em Juiz de Fora. Em entrevista coletiva na tarde desta sexta-feira (24), a delegada regional de Polícia Civil, Sheila Oliveira, informou que ele mantinha as vítimas trancadas em uma casa no Bairro Solidariedade.
A jovem é do estado do Pará e conheceu o homem pela internet há cerca de três anos. Em agosto deste ano, ela foi para Minas Gerais. “Pela internet vale tudo. A pessoa cria uma situação imaginária, uma pessoa que ela não é. E a pessoa que está do outro lado acaba acreditando e caindo em muitas situações perigosas e arriscadas. E não convém”, observa.
Segundo a polícia, ao chegar na cidade, a vítima teve os documentos pessoais e cartões do banco roubados e passou a ficar presa dentro de casa com a filha. “A criança ainda mamava na mãe, mas a mãe estava sendo alimentada à base de biscoito e água”, detalha a delegada.
De acordo com a polícia, a vítima conseguiu fugir depois de pegar o chip do celular do suspeito e ligar para a mãe dela. A Polícia do Pará registrou a ocorrência e a Polícia Civil em Juiz de Fora conseguiu prender o suspeito em flagrante. A jovem e a filha já voltaram para o Pará, segundo informações da Polícia Civil.
O suspeito já esteve preso por estupro e estava solto há poucos meses. Além do cárcere, ele também vai responder por lesão corporal. “Ela disse que constantemente era agredida fisicamente. A perícia constatou que ela está com vários hematomas pelo corpo”, afirma a delegada. A jovem também disse à polícia que o homem tinha envolvimento com drogas.

Jovem é preso em ônibus com maconha em mochilas em Araxá

Suspeito levava quase 15 kg de droga dentro de duas mochilas. 
Criminoso ia de Uberlândia para BH; ele foi levado para presídio de Araxá.


Do G1 Triângulo Mineiro
Apreensão droga Polícia Rodoviária Federal Araxá (Foto: PRF/Divulgação)Droga estava no bagageiro interno do ônibus (Foto: PRF/Divulgação)
Um jovem de 26 anos foi preso com quase 15 kg de maconha na madrugada desta sexta-feira (24) na BR-262 em Araxá, no Alto Paranaíba. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o suspeito estava em um ônibus que seguia de Uberlândia para Belo Horizonte.
A PRF informou que o ônibus foi abordado em uma operação de rotina. Os policiais fizeram buscas nas bagagens e encontrou em duas mochilas, que estavam no bagageiro interno do veículo, com 14,8 kg de maconha. O dono das mochilas foi encaminhado para a delegacia da Polícia Civil de Araxá, onde o flagrante foi ratificado. O jovem foi encaminhado para o presídio de Araxá. A droga também foi levada para a delegacia e, segundo a Polícia Civil, será incinerada.

Preso por roubo é suspeito de 11 estupros na Grande BH, diz polícia

Delegada investiga ainda outros 10 casos em Contagem.
Segundo ela, criminoso atacava mulheres e forçava sexo.


Do G1 MG
Homem é suspeito de estuprar onze mulheres em Contagem, na Grande BH (Foto: Divulgação / Polícia Civil)Homem é suspeito de estuprar onze mulheres em
Contagem (Foto: Divulgação / Polícia Civil)
A Polícia Civil de Contagem divulgou nesta quinta-feira (23) que investigações apontaram um homem preso por roubo em 2013 como o responsável por onze estupros em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Segundo a delegada Laise Rodrigues, outros dez casos são investigados.
O suspeito, conforme Laise, atacava mulheres em passarelas e viadutos da cidade e forçava o sexo. Há registros de crimes desde 2009. Quando ele foi reconhecido pela primeira vítima, já estava preso.
As mulheres estupradas têm idades de 14 e 62 anos, segundo a delegada. “Ele era um oportunista, pegava as mulheres sozinhas aleatoriamente. A intenção agora é mantê-lo preso”, disse.
Ele cumpre prisão preventiva em um presidio na cidade de Ribeirão das Neves, na Região Metropolitana.

PRF apreende 300 caixas de cigarros contrabandeados em rodovia de MG

Motorista vinha do Paraguai; ele foi abordado em Montes Claros.
Caminhão contava com a cobertura de um batedor.


Do G1 Grande Minas
Policiais fazem contagem da caixas de cigarro (Foto: Divulgação / Polícia Rodoviária Federal)Policiais fazem contagem da caixas de cigarro (Foto: Divulgação / Polícia Rodoviária Federal)
A Polícia Rodoviária Federal apreendeu um caminhão com 300 caixas de cigarros contrabandeados, em Montes Claros (MG), nesta terça-feira (28), na BR-251. O motorista de 23 anos foi preso.
Carro tinha um rádio comunicador (Foto: Divulgação / Polícia Rodoviária Federal)Carro tinha um rádio comunicador
(Foto: Divulgação / Polícia Rodoviária Federal)
Segundo a Polícia, o  condutor transportava a carga do Paraguai e tinha como destino Arapiraca, em Alagoas.

Ainda de acordo com a PRF, um carro era utilizado como batedor para dar cobertura ao caminhão.

Um rádio comunicador  foi encontrado escondido no painel do carro. O aparelho era utilizado para comunicar ao caminhoneiro a presença de alguma fiscalização no trajeto.

Os cigarros contrabandeados, o batedor e o motorista serão encaminhados para a Polícia Federal.

terça-feira, 21 de outubro de 2014

Quadrilha responsável pela morte de universitário é presa

Os adultos podem ficar presos mais de 30 anos pelo crime e os adolescentes envolvidos no assassinato ficarão três anos em internato


O Tempo
JULIANA BAETA/ CINHTIA RAMALHO
Os quatro suspeitos envolvidos na morte do universitário Rodrigo de Almeida Souza, de 24 anos, em setembro deste ano, foram apresentados nesta terça-feira (14) pela Polícia Civil em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte. No dia do crime, eles tentaram assaltar o estudante para levar o veículo, mas acabaram atirando nele e fugindo sem levar nada, caracterizando o crime como latrocínio.
De acordo com o delegado Wesley Geraldo Campos, o tipo de crime praticado pelo grupo é conhecido pela polícia como "tumulto", e envolve roubar carros novos, trocar as placas e revender os veículos no mercado ilegal. Com isso, os carros eram "encomendados" aos suspeitos. Foi assim que E.R.R., de 28 anos, delegou a um menor de 16 anos o roubo. Ele ia ganhar R$ 1.200 pelo "serviço" e chamou um comparsa de 15 anos para ajudá-lo, prometendo lhe pagar R$ 200. Para isso, E.R. colocou a disposição da dupla um Voyage branco, dirigido por R.E.G., de 19 anos.
Foi assim que a dupla de adolescentes, oriunda de Betim, como todo o restante da quadrilha, foi a Contagem atrás do veículo com as características encomendadas. Trava-se de um Uno, que foi visualizado pelo menor na porta da Faculdade Pitágoras, em Contagem. A vítima estava na aula, e a dupla aguardava por sua chegada no local. Foram cerca de 15 minutos de espera até que Rodrigo saísse da faculdade e ligasse o veículo.
Mas assim que fez isso, foi abordado pelos adolescentes, sendo que um deles estava armado. Questionado pela polícia, o menor de 16 anos disse que quando abordou o universitário, ele se abaixou no carro, parecendo que ia pegar alguma coisa, como uma arma. Foi por isso que o adolescente atirou nele. Mesmo assim, a vítima conseguiu andar cerca de 100 metros com o carro, até bater em um muro e em outro veículo. Ele morreu por causa do tiro, que atravessou suas costas chegando até o peito.
Depois disso, o motorista do Voyage, R.E. percebeu que o carro havia dado defeito, saiu correndo à pé, pegou um ônibus e conseguiu fugir de volta para Betim. Os dois adolescentes empurraram o Voyage, o fizeram pegar no "tranco" e conseguiram fugir.
A prisão
A polícia conseguiu chegar até a quadrilha por meio das câmeras de segurança de estabelecimentos ao redor de onde aconteceu o crime. Pelas imagens, foi possível identificar os adolescentes correndo em direção a vítima, e depois voltando para o Voyage. Toda a ação durou cerca de 20 segundos. O veículo utilizado no crime foi identificado, e no dia 21 de setembro, outra vítima registrou uma tentativa de assalto na BR-381, na divisa entre Contagem e Betim.
Neste crime, a vítima contou que os suspeitos eram três homens que chegaram em um Voyage branco, armados. Da mesma forma como aconteceu no dia 13, a vítima contou que quanto tentou fugir os suspeitos dispararam quatro vezes contra ele, mas, por sorte, nenhum tiro o atingiu.
A polícia começou a ligar os fatos e foi atrás do Voyage em Betim. Após ouvir diversas testemunhas, descobriu que E.R. costumava andar com o carro pelas ruas de Betim, mas que o menor de 16 anos também era visto no veículo algumas vezes.
Com a identificação dos suspeitos, a polícia descobriu que o adolescente estava detido por roubo de celular, o interrogou, e ele acabou dando nomes aos bois. Com isso, foram detidos o mandante do crime E.R., o outro adolescente envolvido e o motorista da quadrilha, R.E.
Todos os suspeitos têm passagens policiais por crimes como tráfico, receptação, crimes de trânsito - como dirigir sem habilitação - e uso de drogas. Os adultos irão responder pelos crimes de latrocínio, associação criminosa e corrupção de menores, podendo pegar mais de 30 anos cada um. Já os adolescentes ficarão em regime de internato por três anos.

Maior operação já feita contra aborto prende 57 pessoas

Entre os detidos está um médico com US$ 5 milhões no exterior e R$ 532 mil apreendidos em casa


O Tempo
DA REDAÇÃO
RIO DE JANEIRO. A Corregedoria Interna da Polícia Civil (Coinpol) realizou nesta terça a maior operação de combate a quadrilhas que praticam aborto no Brasil. Até as 16h, 57 pessoas haviam sido presas por envolvimento no esquema, sendo seis policiais civis, três policiais militares, seis médicos, um bombeiro militar, um sargento do Exército e dois advogados.
Cinco membros da suposta quadrilha já estavam detidos por outras investigações. Medicamentos, uma série de documentos e R$ 532 mil em dinheiro, entre notas de reais e dólares, também foram apreendidos.

Um dos presos é o médico Aloísio Soares Guimarães, que, segundo a polícia, praticava abortos desde a década de 1960. A Polícia Civil informou que vai acionar o Laboratório de Lavagem de Dinheiro da entidade para fazer uma devassa nas contas bancárias do médico, pois na casa dele, no Leblon, foi apreendido um extrato de abertura de conta bancária em uma instituição financeira na Suíça no valor de 5 milhões (de moeda desconhecida). Na casa do médico, foram apreendidos ainda R$ 532 mil em espécie, entre dólares e reais.

O médico Bruno Gomes da Silva, 80, o Dr. Aborto, também foi preso. Ele é acusado de participar da organização desde 1977. Apesar de carregar uma extensa lista de acusações, Bruno nunca teve cassado seu registro no Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro (Cremerj). Somando todas as penas, o acusado tem 22 anos e seis meses de prisão em cinco processos por aborto e outros crimes, como formação de quadrilha e homicídio culposo.

Já a médica Ana Maria G. Barbosa, também presa na operação, teria praticado mais de 2.000 abortos, segundo as investigações. O secretário de Segurança do Rio, José Mariano Beltrame, ao final da coletiva concedida nesta terça, ressaltou que a prática do aborto clandestino é um assunto que deve ser discutido pela sociedade e pelos legisladores.

Responsável pelas investigações, um dos corregedores da Polícia Civil, delegado Glaudiston Galeano, disse que os médicos presos são “açougueiros”. “Os locais, as clínicas de aborto, eram verdadeiros açougues. Os médicos não são médicos, são açougueiros. Eles matam como se estivessem matando um bezerro”.
O que diz a lei
Crime
. O aborto é permitido no Brasil em apenas três situações: para salvar a vida da gestante; quando a gravidez é decorrente de estupro; e em casos de diagnóstico de anencefalia.
Garota de 13 anos e grávidas de sete meses entre as “vítimas”

Rio de Janeiro.
 A quadrilha era dividida em sete núcleos, cada um com uma clínica, a maioria delas com endereço fixo. O bando praticava abortos em menores de 13 anos e interrompia gestações de sete meses com microcirurgia.

Além de atender gestantes do Rio de Janeiro, a quadrilha prestava ainda serviços para mulheres grávidas de outros Estados, atendendo sempre em locais sem quaisquer condições de higiene e salubridade. Diversos integrantes do grupo têm passagem por dois ou mais núcleos. “As clínicas eram independentes, cada uma com área de atuação bem-definida, e não competiam entre si, até porque a demanda era maior do que a oferta. Algumas clínicas chegavam a limitar a quantidade de abortos por dia”, informou a polícia. A quadrilha agia na capital e poderia estender a atuação para cidades da região metropolitana fluminense.
O bando
A quadrilha
 era dividida em sete núcleos, cada um com uma clínica. Além de atender gestantes do Rio de Janeiro, atendia mulheres grávidas de outros Estados

Os preços variavam de R$ 1.000 (estágio inicial) até R$ 7.500 (23 a 26 semanas de gestação)

Cada grupo tinha chefe e responsáveis por variadas tarefas, como auxílio de enfermagem, procedimento cirúrgico, segurança, agenciamento das gestantes e transporte

Os servidores públicos investigados, entre eles oito policiais civis e quatro militares, seriam responsáveis pela segurança e proteção do bando.

Folhapress

Criança de 3 anos era "laranja" de quadrilha de tráfico de drogas

Onze traficantes foram presos nesta quinta-feira (9) na região Oeste de Belo Horizonte; drogas eram compradas nos Estados do Mato Grosso do Sul e Paraná


O Tempo

Jogos de azar também estão entre as atividades das quadrilha


DA REDAÇÃO
Na madrugada desta quinta-feira (9), a Polícia Federal (PF) deflagrou, com apoio do Batalhão Rotam da Polícia Militar, a Operação Oeste, destinada a desbaratar organização criminosa que comandava o tráfico de drogas na região Oeste de Belo Horizonte, com atuação também no centro da cidade. A droga era adquirida nos Estados de Mato Grosso do Sul e Paraná, trocada por automóveis ou por meio de depósitos bancários em nome de “laranjas”.
Um dos “laranjas” usados pela organização criminosa para a aquisição da droga era uma criança de 3 anos de idade, filho do próprio líder do bando. As investigações foram iniciadas em outubro de 2013 e identificaram vários depósitos para esse fim, totalizando cerca de R$ 1.350.000 em transferências para contas em Mato Grosso do Sul e Paraná entre outubro de 2012 e fevereiro de 2014. O líder do grupo tinha antecedentes por homicídio, tráfico de drogas e estava em prisão domiciliar.
Participaram da deflagração 120 policiais entre federais e militares. Foram cumpridos 18 mandados de busca e apreensão e 17 mandados de prisão temporária, todos expedidos pela Justiça Estadual de Minas Gerais. Até o momento, foram presas 11 pessoas, sendo duas em flagrante por porte ilegal de arma de fogo e posse de drogas. Foram apreendidos com a organização criminosa três veículos de luxo, avaliados em cerca de 250 mil reais, três motocicletas, um revólver de calibre 38, 80 pinos de cocaína, aproximadamente 65 mil reais em espécie e quatro máquinas caça-níqueis.
Os 17 integrantes da organização criminosa foram indiciados pela PF. Os presos responderão por tráfico interestadual de drogas, associação para o tráfico, organização criminosa, podendo ser condenados a mais de 40 anos de reclusão. Alguns ainda responderão por posse de arma de fogo e lavagem de dinheiro, podendo ser condenados a 18 anos de reclusão.